Faleceu no início da noite desta terça-feira, dia 26 de janeiro, a vítima de um acidente que envolveu um motorista de Lins e um agente penitenciário da cidade de Barbosa. O senhor Valdic Junio Alves Primo trabalhava na Penitenciária de Avanhandava, era casado e tinha uma filha de 7 anos. Morador de Barbosa sofreu o acidente, foi socorrido até o hospital de Araçatuba, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito as 20:30 desta noite de terça-feira.
Entenda caso:
Motorista é preso após bater em moto de agente penitenciário
Um motorista de 22 anos, morador em Lins, foi preso em flagrante na manhã deste sábado (23) após bater na traseira da moto de um agente penitenciário de 32 anos, na rodovia Marechal Rondon (SP-300), em Penápolis. Ele fez o teste do bafômetro, que comprovou a embriaguez.
O acusado pagou R$ 5 mil de fiança para responder pelo crime em liberdade. A vítima teve ferimentos graves e no final da tarde permanecia internada na Santa Casa de Penápolis.
Segundo a Polícia Militar Rodoviária, o agente penitenciário, que é de Barbosa, seguia com uma Titan sentido a São Paulo, e por volta das 6h teve a moto atingida na traseira pelo HB-20 conduzido pelo motorista, quando passava pelo quilômetro 479,5. Com o impacto, a moto ficou presa na parte da frente do carro e a vítima lançada ao chão após cair sobre o veículo.
O resgate foi feito por equipe médica da concessionária Via Rondon e a vítima levada para o pronto-socorro de Penápolis. Devido à gravidade dos ferimentos, o agente penitenciário foi transferido para a Santa Casa e internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Às 16h30 ele permanecia internado e segundo o hospital, o estado de saúde do paciente era considerado grave.
Equipe do IC (Instituto de Criminalística) realizou perícia no local antes de os veículos serem recolhidos e o tráfego liberado. O bancário foi levado para a delegacia de Penápolis após realizar o teste do bafômetro, que apontou 0,83 miligramas de álcool por litro de ar alveolar. O limite para a prisão em flagrante, de acordo com a lei seca, é de 0,33 miligramas de álcool por litro de ar alveolar.
Por isso, ele foi preso, mas como a legislação prevê o pagamento de fiança, ele pagou os R$ 5 mil estipulados pelo delegado plantonista e responderá pelo crime em liberdade. Além de ser multado em R$ 1.915, o bancário pode ter a carteira de habilitação suspensa. Matéria Folha da Região.

Fonte: J Serafim