A agência de notícias estatal turca Anadolu afirmou nesta segunda-feira (18) que o ex-comandante da Força Aérea Akin Ozturk confessou a procuradores seu papel no planejamento do golpe que tentou derrubar o governo durante o fim de semana.

Já a emissora privada turca Haberturk afirma que Ozturk não confessou e teria dito aos procuradores que ele tentou prevenir o golpe.
Mais de 200 pessoas foram mortas após uma facção das Forças Aramadas iniciar uma tentativa de golpe na noite de sexta-feira, fechando uma ponte que atravessa o estreito de Bósforo, tentando capturar o principal aeroporto de Istambul e enviando tanques ao Parlamento, em Ancara.
Mais cedo nesta segunda-feira, o primeiro-ministro Binali Yildirim afirmou que o governo possui documentos que detalham os responsáveis pela tentativa de golpe.
Os organizadores possuíam planos detalhados de quem ficaria com cargos ministeriais e quem iria agir como chefe da lei marcial, disse Yildirim em declaração após encontro de gabinete.
Ele também disse que investigações estão em andamento e detenções dentro das forças de segurança irão continuar.
Prisões
Nesta segunda-feira, 7.543 pessoas foram presas, incluindo 6.038 soldados, por supostas ligações com a tentativa de golpe fracassada de sexta-feira (15), afirmou o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim. Cerca de 8 mil policiais foram afastados de suas funções em todo o país, incluindo Istambul e Ancara.
No domingo (17), o assessor militar do presidente Recep Tayyip Erdogan foi preso como parte das investigações sobre a tentativa de golpe, anunciou a agência de notícias Anadolu. O coronel Ali Yazici, que era o assessor de Erdogan desde 12 de agosto de 2015, é alvo de um processo judicial, indicou a agência. Yazici estava em Ancara quando o golpe ocorreu, de acordo com o canal de notícias CNN-Turk.
Também no domingo, as autoridades turcas prenderam militares, juízes e procuradores acusados de ter apoiado o golpe de Estado.
Nesta manhã, o governo anunciou a suspensão das férias de todos os funcionários públicos, segundo a France Presse.
O clima segue tenso no país. Um soldado abriu fogo fora do tribunal de Ancara. De acordo com a Reuters, ninguém ficou ferido

Foto: Murad Sezer
Fonte: G1