Em dias normais, apenas 2 coletivos fazem o percurso.
De carro, são 42 horas de viagem entre as duas cidades.

A Rodoviária Novo Rio ficará agitada na tarde desta segunda-feira (14), como mostrou o RJTV. Ao menos 36 ônibus vão fazer a viagem entre Rio de Janeiro e Buenos Aires para o retorno de milhares de argentinos que vieram assistir à final da Copa do Mundo. De acordo com a reportagem, à tarde, os coletivos vão sair de 5 em 5 minutos em direção à capital argentina.

Cerca de 70 mil sul-americanos devem deixar a cidade nos próximos dias, segundo projeções da RioTur. O transporte mais comum usado por eles deve ser o ônibus. Por isso, o consulado da Argentina no Rio estará presente na rodoviária para auxiliar os “hermanos”.

A indicação é para que motoristas que circulam pelo Centro tentem evitar essa região durante a tarde, por causa da intensa movimentação no terminal. A saída de argentinos deve seguir intensa até terça-feira (15).

Argentinos fazem fila para banho

Em meio a inúmeros turistas das mais variadas nacionalidades, os argentinos eram maioria na Rodoviária Novo Rio, no Centro, no final da manhã desta segunda-feira. Enquanto alguns ainda dormiam no chão, comiam na praça de alimentação do terminal ou procuravam por algum suvenir do Brasil em lojas, muitos argentinos enfrentavam fila para tomar banho antes da longa viagem de volta para casa.

“Assistimos à final na praia e passamos a noite lá. Um amigo peruano que vive aqui [no Rio] guardou nossas bagagens. Precisamos de banho antes de viajar”, disse o estudante Eduardo Gimenez, 23 anos, que partirá em um ônibus previsto para as 16h25, acompanhado de três amigos.

Outro destino muito procurado por quem deixaria o Rio de ônibus era São Paulo, já que muitos estrangeiros chegaram ao país pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos. Este era o caso do comerciante Marcelo Goris, 43 anos, que esperava embarque rumo a Guarulhos. Ele, porém, não iria retornar à Argentina de avião. “Viajamos 2.600 quilômetros de Santa Fé até Guarulhos e lá nosso carro estragou. Queríamos vir ao Rio para a partida final. Deixamos o carro num mecânico e dormimos dentro dele antes de vir pra cá”, contou.

FONTE: G1