Um professor de 62 anos foi violentamente agredido com socos por um aluno de 14 anos, na manhã desta sexta-feira (22), dentro da sala de aula da Escola Estadual Professor Octacilio Sant’Anna, que fica no parque Alto de Fátima, em Lins (102 quilômetros de Bauru). No mesmo dia, dois educadores foram ameaçados e agredidos em outra escola da cidade por um adolescente de 12 anos.

Segundo o BO, o professor Paulo Rafael Procopio contou à polícia que uma aluna pediu autorização para entregar um trabalho em outra sala para uma professora. Quando a menina retornou, o adolescente de 14 anos tentou entrar na sala para falar com ela, mas foi impedido por ele para não atrapalhar uma atividade que estava sendo realizada.

De acordo com a versão do professor, diante da insistência do aluno, ele tentou fechar a porta, mas o garoto colocou o pé e jogou um caderno na sua direção. Quando ele se abaixou para pegar o caderno, acabou sendo agredido com vários socos e chegou a cair no chão. A vítima diz que tentou imobilizar o adolescente, mas ele conseguiu se soltar e saiu da sala.

Já o estudante alega que foi até a sala para conversar com sua prima. Ele confirma que tentou segurar a porta quando viu que o professor a fechou, mas afirma que o homem teria lhe agarrado pelo braço e o colocado para fora, o que fez com que ele jogasse o caderno na direção dele e, na sequência, desferisse um soco em seu rosto para tentar se defender.

Após a confusão, os alunos chamaram funcionários da escola, que acionaram Unidade de Resgate dos Bombeiros. A vítima foi socorrida até a Santa Casa da cidade, onde foi medicada. O adolescente foi levado pela PM até a CPJ de Lins, na presença do Conselho Tutelar, para registro do BO.

Na página do professor nas redes sociais, muitos enviaram mensagens de solidariedade.

OUTRO CASO

Em outra ocorrência, também na manhã desta sexta-, um professor de 41 anos e um cuidador de 23 anos foram agredidos e ameaçados por um estudante de 12 anos na Escola Estadual Fernando Costa, no Centro de Lins.

Segundo o BO, o professor disse que o aluno estava exaltado por não possuir uma caneta e o educador acabou dando o material ao garoto, que o arremessou longe. Na sequência, o estudante pegou a caneta de um colega, que não gostou.

O professor pediu a ele para que se retirasse da sala, colocando a mão em seu ombro. Neste momento, o adolescente teria partido para cima do professor com tapas, socos e arranhões, causando-lhe lesões nos braços, e o ameaçado de morte. O cuidador tentou conter o garoto, mas teve que ser auxiliado por outros funcionários. A ocorrência, de lesão corporal e ameaça, também foi registrada na CPJ da cidade.

EDUCAÇÃO RESPONDE

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação informou que, no caso do aluno da Escola Estadual Professor Octacilio Sant’Anna, a diretora tentou contato com a mãe do adolescente e, como não obteve sucesso, acionou o Conselho Tutelar. “Após a chegada da PM e Conselho Tutelar, todos se dirigiram até a CPJ para o registro do boletim de ocorrência. Segundo a mãe do aluno, ela ficou sabendo por um vizinho sobre o ocorrido e também compareceu na delegacia”, diz.

No segundo caso, de acordo com a pasta, o adolescente não mora com familiares e está acolhido na Casa Lar, que abriga menores em situação de risco. “Nos dois casos, a administração regional de Lins está prestando total apoio aos professores e orientou que os mesmos registrassem o boletim de ocorrência. Os conselhos das escolas se reunirão nos próximos dias para definir as medidas cabíveis”, anuncia.

A Secretaria ressalta que a Diretoria Regional de Educação de Lins realiza um trabalho em parceria com a rede de proteção para crianças em situação de vulnerabilidade social, com a prefeitura de Lins, para coibir situações de violência nas escolas e de acompanhamento às famílias dos estudantes. “Em função do trabalho realizado com a rede de proteção da prefeitura, os casos de violência registramos nas escolas estaduais de Lins diminuíram em 2018, em relação a 2017”.

Fonte e Foto: JCNET