Os vereadores de Penápolis aprovaram, na sessão da última
segunda-feira (12), projeto enviado pelo Poder Executivo que
autoriza a prefeitura local a assinar convênio com o Estado para
contratar policiais militares em folga para atuarem pelo
município.

Projeto com a mesma finalidade também foi à votação
essa semana na Câmara de Birigui, mas acabou rejeitado.
Em Penápolis, apesar da aprovação, não há prazo para a
contratação de policiais e nem se sabe ainda quantos seriam
necessários para atender a demanda da prefeitura. O prefeito João
Luís dos Santos (PT) explica que a autorização para o convênio é
prevista no Plano Municipal de Segurança Pública, que está em
fase de elaboração e deve ser implantado em 2012. “Já tivemos
duas reuniões para discussão do plano, que deve ser lançado entre
março e abril do próximo ano. Por ser ano eleitoral, o convênio
com o governo estadual tem que ser assinado ainda este ano”,
esclarece.
Onde deu certo
Na capital paulista, a iniciativa vem sendo aprovada pela
população. O índice de criminalidade diminuiu nos locais onde os
PMs em horário de folga estão atuando. Em Agudos, vizinha a
Bauru, os crimes também diminuíram.
A cidade de Bauru também prepara projeto semelhante. O efetivo
inicial seria de 40 policiais. Eles receberão 0,92 Ufesps, que
equivale a R$ 16,05. O aparato (coletes, armas e viaturas) será
oriundo do Estado.

Em Lins
O vereador Dr. Marino Bovolenta (PV) sugeriu, em junho de 2010,
que a atividade delegada fosse adotada em Lins. Na época, ele fez
uma comparação: “Contratar PMs de folga é mais eficaz e mais
econômico para o município do que criar a Guarda Municipal, pois
os militares já possuem a experiência necessária para atuar na
área”.

Ele vem cobrando uma atitude por parte da administração, que
anunciou a criação de guarda própria, porém, até o momento, nada
foi feito.

FONTE: CORREIO DE LINS