Mais seis corpos foram encontrados nesta quarta-feira (25) no hotel Rigopiano, soterrado por uma avalanche no centro da Itália, o que elevou para 24 o número de mortos na tragédia. Ainda há cinco desaparecidos, de acordo com informações da agência EFE.
No entanto, praticamente não há esperança de encontrar alguém com vida no hotel, localizado na cidade de Farindola, na região dos Abruzzo.
Desde a última sexta-feira, nove pessoas foram resgatadas, entre elas quatro crianças. Depois disso, as equipes de resgate não encontraram mais sobreviventes.
Os socorristas esperavam que alguns dos desaparecidos tivessem se protegido da avalanche em outras áreas do hotel, como os nove sobreviventes encontrados em uma sala de jogos.
No entanto, após escavarem vários metros, só encontraram montanhas de cascalho, neve compactada, troncos de árvores e vigas de cimento, explicaram os bombeiros que chegaram até o coração do hotel entrando por pequenos espaços.
A tragédia ocorreu no último dia 18, quando o hotel de quatro estrelas ficou coberto por um desmoronamento de neve, possivelmente ocasionado pelos terremotos na região, quatro deles de magnitude superior a cinco pontos na escala Richter.
Dos nove sobreviventes, duas crianças receberam alta ontem: Edoardo Di Carlo, de 9 anos, que perdeu os pais na tragédia, e Samuel Di Michelangelo, de 7 anos, cujos responsáveis ainda estão desaparecidos.
A Justiça italiana investiga se a catástrofe poderia ter sido evitada. Foi aberta uma investigação por homicídio culposo para determinar se todos os riscos haviam sido levados em conta, tanto na construção do hotel quanto no dia do acidente.

Foto: Corpo Nazionale Soccorso Alpino e Speleologico/The National Alpine Cliff and Cave Rescue Corps (CNSAS) via AP
Fonte: G1