A esposa do empresário Rafael Martins, que foi morto quando deixava um condomínio na região sul de Londrina, no norte do Paraná, disse, em depoimento à Polícia Civil, que um dos criminosos atirou quando o marido ia sair do carro.

“Eu falei: pra que isto? Eu tinha descido do carro. Ele ia descer do carro. Não tem necessidade disto. Moleque, moleque. Desceu do carro e atirou no meu marido”, diz a mulher.

O crime ocorreu na noite de quarta-feira (19), e os suspeitos foram presos na quinta-feira (20). Nesta sexta-feira (21), a Justiça decretou prisão preventiva dos dois suspeitos. Um adolescente e um outro rapaz são procurados pela polícia suspeitos de envolvimento no caso.

Segundo a Polícia Militar (PM), o homem estava em um carro com a mulher e foi rendido por três assaltantes quando deixava o condomínio para ir à igreja.

A esposa contou à polícia que o marido foi baleado enquanto tirava o cinto de segurança para entregar o carro aos ladrões.

“O Rafael acho que foi pegar, tirar o cinto, ele estava de cinto. A hora que ele foi puxar o cinto o rapaz baleou ele. Foi um tiro no ouvido”, disse a mulher.

Após o disparo, o grupo fugiu. A esposa de Rafael Martins contou que correu atrás do carro para tentar identificar a placa do veículo.”E eu saí correndo atrás do carro pra ver se eu enxergava a placa do Pálio. Eu vi a placa do Pálio: A, alguma coisa, H. Não vi o número. Vi três pessoas dentro do carro. Um dirigindo, que eu já reconheci aqui [na delegacia], outro que atirou, que eu já reconheci aqui, e o outro eu não consigo afirmar”, declarou.

Com as informações da placa a polícia conseguiu identificar o carro e chegou nos dois homens que foram presos na quinta-feira.

Para a Polícia Civil, os criminosos tinham a intenção de roubar qualquer carro na noite de quarta-feira.

“Pela análise das imagens das câmeras de segurança e as declarações dos investigados, eles [suspeitos] tinham interesse de roubar um carro e esperaram para que um carro saísse daquele local. Eles exigiram a entrega do carro”, explicou o delegado Tiago Vicentini.

Com as informações da placa a polícia conseguiu identificar o carro e chegou nos dois homens que foram presos na quinta-feira.

Para a Polícia Civil, os criminosos tinham a intenção de roubar qualquer carro na noite de quarta-feira.

“Pela análise das imagens das câmeras de segurança e as declarações dos investigados, eles [suspeitos] tinham interesse de roubar um carro e esperaram para que um carro saísse daquele local. Eles exigiram a entrega do carro”, explicou o delegado Tiago Vicentini.

Fonte e foto: G1