‘Eles deveriam ser todos executados’, escreveu miss em rede social.
Weluree Ditsayabut se referia a simpatizantes de ex-premiê.

A Miss Universo Tailândia renunciou ao seu título nesta segunda-feira (9) devido aos comentários que ela fez nas mídias sociais, afirmando que os ativistas “Camisas Vermelhas”, simpatizantes da primeira-ministra deposta, Yingluck Shinawatra, deveriam ser executados.

O golpe militar do mês passado foi o mais recente episódio de um conflito de uma década entre os monarquistas com forte apoio em Bangcoc e os partidários de base rural de Yingluck e seu irmão, o ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra.

Weluree Ditsayabut, de 22 anos, foi coroada Miss Tailândia no mês passado, mas os comentários que ela fez há alguns meses vieram à tona, incluindo em sua conta do Facebook sobre os Camisas Vermelhas: “Estou com tanta raiva de todos esses ativistas maldosos. Eles deveriam ser todos executados.”

Emocionada, Weluree disse a jornalistas que não poderia lidar com as críticas que recebeu por meio do Twitter e do Facebook.
“Eu me senti sob pressão. Tentei melhorar a mim mesma, mas o que eu não consigo suportar é ver minha mãe estressada”, disse Weluree. “Decidi sacrificar o meu status como Miss Universo Tailândia.”

A rainha da beleza também reagiu a comentários sobre sua aparência. “Na verdade, eu sou gorda, seu animal!” dizia uma mensagem dela em sua conta no Twitter, que já foi excluída.

FONTE: G1