Novo boletim médico divulgado às 10h30 desta quarta-feira (25) informa que a ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva foi submetida a novo procedimento após sofrer acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico. Ela está internada na UTI e não tem previsão de alta.
Segundo a nota do hospital Sírio-Libanês, ela fez uma “passagem de um cateter ventricular para monitoração da pressão intracraniana”.
A decisão pelo procedimento ocorreu após “avaliação tomográfica de crânio para controle de sangramento cerebral”, diz a nota. ,
Na terça-feira (24) , Dona Marisa passou por um procedimento de emergência que durou cerca de duas horas para conter a hemorragia no cerébro. Tudo saiu dentro do previsto e o quadro de saúde dela é estável.
De acordo com o Dr. Roberto Kalil Filho, chefe da equipe médica que atende a ex-primeira-dama, ela já tinha um aneurisma (artéria cerebral com malformação), diagnosticada há cerca de dez anos. Na época, não havia indicação cirúrgica, mas apenas de acompanhamento clínico. Segundo o médico, foi esse aneurisma que se rompeu.
Kalil lembrou que a ex-primeira-dama é hipertensa e disse que uma crise hipertensiva pode ter sido responsável pelo AVC: “O paciente hipertenso tem que se cuidar. No dia a dia a sua pressão varia, mas ela teve um quadro de crise hipertensiva e isso provavelmente rompeu o aneurisma”.
Ao Jornal Hoje, Kalil disse que Dona Marisa está entubada e fazendo exames importantes para ver a evolução do sangramento cerebral.
“Do ponto de vista clínico, [o estado] é estável, do ponto de vista neurológico, nessas próximas 24,48 horas os exames vão dizer a evolução mais precisa”, disse.
“Muito provavelmente nos próximos dois, três dias vai ser tirada a sedação e aí tentar ver o despertar de Dona Marisa”, completou.
O vereador Eduardo Suplicy (PT) foi ao hospital nesta quarta prestar solidariedade à família. Ele contou que conversou com Lula por cerca de 40 minutos e que o ex-presidente se mostrou emocionado. “Ele sabe de pessoas que tiveram esse problema e depois não puderam voltar a ter uma vida normal, mas ele acha, tem toda a esperança [de que ela vai melhorar]”.
“A Marisa se constitui, nos últimos 44 anos, um apoio fundamental ao Lula em todas as situações”, lembrou ele.
Suplicy afirmou que ouviu de Lula que é possível que Marisa fique mais de uma semana internada. Ela está em coma induzido

Foto: André Dusek/Estadão Conteúdo/Arquivo
Fonte: G1