Um juiz federal de Los Angeles rejeitou nesta terça-feira (16) uma ação por difamação movida contra o presidente Donald Trump pela atriz pornô Stormy Daniels, que alega ter tido com caso extraconjugal com ele em 2006.

Daniels processou Trump por difamação depois que o presidente disse em abril em sua conta no Twitter que a atriz inventou ter sido vítima de ameaças para não revelar o caso.

O juiz James Otero considerou que o post do presidente foi uma “declaração hiperbólica” protegida pela Primeira Emenda, que garante a liberdade de expressão. O juiz também decidiu que Daniels deve pagar os honorários dos advogados de Trump.

Após a decisão, Trump usou o Twitter para chamar Daniels, cujo nome verdadeiro é Stephanie Clifford, de “cara de cavalo”:

“Perfeito, agora posso ir atrás da cara de cavalo e de seu advogado de terceira classe no grande estado do Texas”, escreveu ele no Twitter. “Ela não sabe nada sobre mim, uma fraude total”.

Daniels respondeu:

“Senhoras e senhores, eu vos apresento o seu presidente. Além de suas… hum… limitações, ele mostrou sua incompetência, ódio pelas mulheres e falta de autocontrole no Twitter. De novo! E talvez uma queda pela bestialidade. Ao jogo, pequeno”.

Daniels mantém outro processo aberto contra o presidente sobre a nulidade de um acordo de confidencialidade que assinou para manter silêncio sobre o suposto caso.

Trump negou a relação com Daniels, apesar de ter admitido que pagou US$ 130 mil pelo silêncio da atriz.

Daniels publicou recentemente um livro no qual disse que o sexo com o presidente foi o “menos impressionante” de sua vida e que sua genitália parece um cogumelo.

Fonte e foto: G1