A estudante Marcela de Souza Oliveira foi morta com um tiro na cabeça, segundo informação da perícia divulgada com exclusividade pelo RJ1. O disparo foi feito pelas costas, na parte de trás. Peritos não viram sinais de violência sexual no corpo dela, que foi encontrado no último sábado (1º) em um rio de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Marcela tinha 26 anos e estava desaparecida desde segunda-feira (27). O pai identificou a filha por causa de uma tatuagem nas costas. O cadáver estava na mesma região onde foram achados documentos, a bolsa e um casaco da estudante.

O enterro do corpo da estudante aconteceu às 14h desta segunda-feira (3). A família optou por não realizar velório.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), que busca indícios que levem à autoria do crime.

Quando o corpo foi encontrado, não foi possível fazer a identificação imediata devido ao estado de decomposição.

Estudante e advogada Marcela de Souza Oliveira, de 26 anos, está desaparecida desde a última segunda-feira (27).  — Foto: Reprodução/ Redes Sociais

Estudante e advogada Marcela de Souza Oliveira, de 26 anos, está desaparecida desde a última segunda-feira (27). — Foto: Reprodução/ Redes Sociais

Marcela foi vista pela última vez na segunda-feira pela mãe. Ela estava na casa do namorado, William, onde passara a noite, e ali combinou de almoçar com os pais.

Ele diz que saiu de casa para ir ao trabalho e que a namorada continuou na sua casa, dormindo. Maria Penha Oliveira, mãe da vítima, tentou entrar em contato com a filha.

A jovem disse que colocaria comida para as cachorras e iria para casa. Desde então, a família não teve mais informações. Preocupados, eles começaram a fazer buscas em hospitais, delegacia e no Instituto Médico-Legal (IML).

Pescadores, que relataram terem visto um corpo no leito do rio, ajudaram na operação de resgate.

Família de advogada que estava desparecida identifica o corpo encontrado no Rio Iguaçu

Advogada estava desparecida da desde segunda-feira. Corpo foi encontrado dentro do Rio

Fonte e foto: G1