O secretário de Comércio Exterior do Ministério da Indústria, Abrão Neto, avaliou nesta segunda-feira (3) que há “sinais positivos” na trégua entre os Estados Unidos e a China.

A guerra comercial entre os dois países começou quando o presidente americano, Donald Trump, decidiu sobretaxar produtos vendidos nos Estados Unidos, incluindo os chineses.

Neste sábado (1º), Trump anunciou a suspensão do plano de subir de 10% para 25% as tarifas americanas a produtos chineses. A suspensão vale enquanto os Estados Unidos negociam com a China “mudanças estruturais” na política econômica.

Trump também anunciou que a China aceitou reduzir e eliminar astarifas dos automóveis importados dos Estados Unidos. Os mercados acionários reagiram positivamente aos anúncios.

O secretário de Comércio Exterior do Ministério da Indústria, Abrão Neto, avaliou nesta segunda-feira (3) que há “sinais positivos” na trégua entre os Estados Unidos e a China.

A guerra comercial entre os dois países começou quando o presidente americano, Donald Trump, decidiu sobretaxar produtos vendidos nos Estados Unidos, incluindo os chineses.

Neste sábado (1º), Trump anunciou a suspensão do plano de subir de 10% para 25% as tarifas americanas a produtos chineses. A suspensão vale enquanto os Estados Unidos negociam com a China “mudanças estruturais” na política econômica.

Trump também anunciou que a China aceitou reduzir e eliminar astarifas dos automóveis importados dos Estados Unidos. Os mercados acionários reagiram positivamente aos anúncios.Segundo Abrão Neto, do MDIC, essa pausa na guerra comercial é “boa no contexto em que pode vislumbrar um desfecho positivo” para as tratativas. Ele observou que, no curto prazo, o Brasil acabou tendo ganhos nas exportações de soja para a economia chinesa.

Fonte e foto: G1