A namorada da jovem Soraia Macedo de Lemos, de 17 anos,morta com um tiro na cabeça por não conseguir desbloquear a tela do celular em uma tentativa de assalto, chegou pouco depois das 12h no Instituto Médico Legal (IML) com a mãr de Soraia para fazer o reconhecimento do corpo da jovem.

“Eu estou aqui, levaram meu telefone, mas eu estou aqui. Tiraram a vida de uma pessoa vaidosa, gostava de se cuidar, tinha muitos sonhos pela frente. Ela tinha 17 anos. Levaram o meu telefone, não o dela, mas tiraram a vida dela. Eu ajoelhei, ela virou pra mim caída e só falou ‘amor’. Em todo momento ela estava respirando, estava me escutando, mas não respondia.”, diz Nicole Cespe, namorada de Soraia.

Nicole também afirmou que os dois criminosos que praticaram o assalto ameaçavam as meninas de morte o tempo todo.

“Eles ficavam o tempo todo xingando, dizendo para passar as coisa rápido. Eles ficavam falando que a gente ia morrer, ia morrer, ia morrer. Quando eu vi ela caída, eu comecei a xingar eles. Logo em seguida eu ajoelhei no chão e pedi para ela ficar calma. A última palavra que ela falou foi amor antes de cair. Ela conseguiu falar essa palavra e em seguida caiu no chão”.

Após receber a notícia da morte da filha, a mãe de Soraia passou mal.De acordo com um primo da adolescente, ela teve uma reação física grave, ficou muito nervosa e teve que tomar calmantes.

A mãe da estudante também fez um desabafo em uma rede social falando sobre o impacto da notícia da morte da filha. Soraia foi morta com um tiro na noite de terça-feira (15) na Ilha do Governador, próximo ao Colégio Estadual Professora Marua de Lurdes de Oliveira Tia Lavor, na Rua Sargento João Lopes.

Após pegarem o aparelho, um iPhone, os criminosos ficaram irritados por não conseguirem desbloquear a tela. Um dele, então, atirou na cabeça da jovem. Ela ainda foi levada ao Hospital Municipal Evandro Freire, também na Ilha do Governador, mas não resistiu.

Fonte e foto: G1