Em mais uma reedição da final do Campeonato Paulista de 1977, a festa foi da torcida corintiana mais uma vez. Se Basílio brilhou 40 anos atrás quando marcou o gol que tirou o Timão da fila, coube a Romero ser o herói da Fiel em 2017: foi ele quem abriu o placar em Itaquera no empate em 1 a 1 com a Ponte Preta neste domingo e que confirmou o 28º título estadual do Corinthians.

Artilheiro da Arena, agora com 18 gols, o paraguaio era um dos candidatos a herói do dia antes mesmo de ele abrir o placar. Na arquibancada, torcedores “previam” uma tarde histórica para o paraguaio com cartazes fazendo referência ao épico encontro entre Timão e Macaca em uma decisão de Paulista. E foi aos 17 minutos do segundo tempo, após um bom passe de Jadson, que o “Pé de Angel” se eternizou na história do clube e viu um time desacreditado se transformar em uma equipe campeã.

– O grupo mereceu esse título. A gente trabalhou muito. Ninguém acreditava no nosso trabalho, mas a gente sempre focado, treinando, com muita humildade conseguimos esse título. É um titulo muito marcante. Na minha memória vai ficar para sempre também. Fazer um gol aqui na arena e comemorar um título não tem preço. todo mundo está de parabéns. A torcida apoiou 90 minutos, não só agora, mas ao longo do campeonato – disse Romero, durante a festa no gramado.

Depois de um início de ano difícil, o time de Fábio Carille deu a resposta da melhor maneira possível: dentro de campo. Dono da melhor campanha geral, o Corinthians construiu sua trajetória no torneio com vitórias em clássicos e eliminação contra o São Paulo nas semifinais. Nas decisões, o embalo da Macaca, que vinha de vitórias contra Santos e Palmeiras, foi contido com uma grande atuação no Moisés Lucarelli.

 A enorme vantagem construída no jogo de ida na semana passada, em Campinas – vitória do Timão por 3 a 0 -, deixou os donos da casa em situação bem tranquila. Sem pressa e com a arena lotada no jogo número 100 do estádio alvinegro, o Corinthians viu seu eficiente sistema defensivo conter os avanços de uma Ponte Preta marcada pelo desânimo e pouca esperança de milagre.

A enorme vantagem construída no jogo de ida na semana passada, em Campinas – vitória do Timão por 3 a 0 -, deixou os donos da casa em situação bem tranquila. Sem pressa e com a arena lotada no jogo número 100 do estádio alvinegro, o Corinthians viu seu eficiente sistema defensivo conter os avanços de uma Ponte Preta marcada pelo desânimo e pouca esperança de milagre.

A defesa corintiana, aliás, foi o grande destaque da equipe de Fabio Carille no Paulistão – foram apenas dez gols sofridos em 18 partidas. O treinador, que rebateu algumas vezes os questionamentos se o Timão seria a quarta força de Sao Paulo, é outro que vê o trabalho da comissão técnica ser fortalecido para a sequência da temporada.

Com a vantagem ainda maior após o gol de Romero, o Corinthians viu a Ponte buscar mais o ataque. Ravanelli chegou a acertar a trave em um chute de fora da área, mas foi Marllon quem descontou no fim da partida e definiu o placar em 1 a 1. Nada que atrapalhasse a festa do Timão e dos 46.017 torcedores que quebraram o recorde de público da arena e viram os corintianos festejarem o título do Campeonato Paulista.

Fonte e Foto: Globo Esporte