Pelo menos 10.503 pessoas morreram na Síria em decorrência dos bombardeios da aviação da Rússia, aliada do governo de Damasco, iniciados em 30 de setembro de 2015, segundo os dados divulgados nesta quarta-feira (30) pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Entre as vítimas, há pelo menos 4.484 civis, entre os quais 1.112 menores de idade e 646 mulheres.
Os bombardeios também causaram 2.911 baixas no grupo terrorista Estado Islâmico (EI) e 3.108 em grupos rebeldes e islâmicos, entre os quais figura a Frente da Conquista do Levante (ex-braço sírio da Al Qaeda) e o Exército Islâmico Túrquico.
Moscou afirmou que os alvos de seus bombardeios são organizações terroristas como o EI e a Frente da Conquista do Levante.
No entanto o Observatório e opositores sírios asseguram que a força aérea da Rússia também tem como alvo bases de facções rebeldes e áreas civis.
A aviação russa participa atualmente na ofensiva do exército sírio na cidade de Aleppo (norte), onde os soldados governamentais tentam expulsar os opositores da metade oriental.


Foto: Ministry of Defence of the Russian/Reuters
Fonte: G1