Um dia fui à casa deles e o pai estava batendo nela durante o banho. Falei para pararem, mas me disseram: ‘tem que educar’. Ele estava batendo nela com cinto.”

A cena é relatada por Irene de Jesus, avó materna da menina de cinco anos morta ao ser espancada supostamente pelos pais, na sexta-feira (2), em Itapetininga (SP).

Segundo informações da Polícia Civil, Débora Rolim da Silva, de 24 anos, e Phelipe Douglas Alves, de 25 anos, foram presos neste sábado (3) suspeitos de matarem a filha, Emanuelly Aghata da Silva, de 5 anos.

 A avó diz que após presenciar as cenas de agressão tentou cuidar da criança, mas não conseguiu. Ela não chegou a dar entrada no pedido para conseguir a guarda da menina no Conselho Tutelar.

De acordo com o avô, Rubens da Silva, a menina era constantemente agredida pelo pai.

Prisão preventiva

Neste sábado (3), a Justiça decretou em audiência de custódia a prisão preventiva dos pais até o dia do julgamento, que ainda não tem data marcada.

Segundo a Polícia Civil, a mulher foi encaminhada à penitenciária em Votorantim e o homem foi levado para o presídio II em Itapetininga. Os dois já tinham passagens na polícia por suspeita de agressão e uso de drogas.

A polícia disse que objetos e aparelhos pessoais como celulares foram apreendidos e encaminhados para a perícia.

Crime

O crime aconteceu na noite de sexta-feira (2), na casa onde o casal morava com outros dois filhos no Centro de Itapetininga.

Segundo a Polícia Civil, os pais acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) durante a noite e disseram que a filha estava convulsionando, depois de uma queda.

A criança foi levada ao pronto-socorro da cidade em estado grave. A equipe médica verificou que a menina estava com diversos hematomas pelo corpo e chamaram a polícia.