Médicos forenses afirmaram nesta segunda-feira (29) que François Patrick Nogueira Gouveia, assassino confesso dos quatro familiares na Espanha, é um psicopata sem empatia, remorsos e que sabia perfeitamente o que estava fazendoquando matou seus tios e primos. As informações foram prestadas por especialistas no quarto dia do júri popular de Patrick Nogueira, reservado para depoimentos de peritos, psicólogos e médicos forenses convocados pela acusação e defesa.

“Ele queria fazer isso, então ele nos disse ‘eu já tinha pensado como fazer isso’, portanto não podemos considerar um ato impulsivo. Ele não tem capacidade limitada para conhecer ou entender o que faz”, explicou uma das psicólogas forenses conforme divulgação feita pela emissora de TV espanhola Antena 3.

O julgamento do réu, que tem 21 anos, acontece em Guadalajara, dois anos e cinco dias depois da prisão dele, e vai até o dia 31 de outubro, data para leitura do veredicto. As sessões do julgamento acontecem pela manhã e à tarde no horário da Espanha.

Ainda de acordo com as psicólogas, Patrick Nogueira apresenta frieza emocional, nenhum tipo de remorso e empatia. Ele ainda é capaz de mentir e manipular para seu próprio benefício. Os depoimentos também rebateram qualquer possibilidade de amnésia e que as informações omitidas não foram por esquecimento, mas omitidas voluntariamente.

Para Walfran Campos, tio de Patrick e irmão de Marcos, pai da família assassinada, o sobrinho tem se comportado como um ator durante todo julgamento. “Contratei médicos forenses, psicólogos que mostraram que desmontaram essa tese da defesa de que ele tem danos cerebrais, ele respondia 100% pelos seus atos no momento que cometeu os crimes”, comentou.

Assassino usou faca de 30 milímetros

Segundo relato de um dos peritos no quarto dia de julgamento, Patrick Nogueira usou uma faca com largura de aproximadamente 30 milímetros. As vítimas apresentavam ferimentos de 34 a 35 milímetros. Janaína e as duas crianças assassinadas apresentavam grandes ferimentos no pescoço.

De acordo com a Antena 3, as análises feitas no corpo de Marcos Nogueira indicaram que ele foi a única vítima que apresentou alguma resistência, a partir dos ferimentos e número de perfurações. Ainda de acordo com o laudo técnico, devido ao estágio avançado de putrefação dos corpos, não foi possível precisar se o esquartejamento foi antes ou depois da morte das vítimas.