Neste domingo (24), os alunos do projeto Bola Bacana 2016 e 2017, realizaram o Festival Bola Bacana Copa do Mundo, com equipes formadas pelos alunos do projeto, onde os mesmos representaram seleções participantes da Copa do Mundo de 2018 na Rússia, no Estádio Gilberto Siqueira Lopes. 

O torneio contou com a presença de 200 alunos das Escolas Municipais de Ensino Fundamental – EMEF – Gessy Beozzo Martins, João Alves da Costa, o CAIC, Escola Estadual Professora Décia Lourdes Machado dos Santos e Centro Cultural Urbano – CSU -.

Os alunos representaram as grandes seleções participantes da Copa do Mundo de 2018, dentre elas, foram escolhidas pelos próprios participantes, a seleção do Brasil, Alemanha, Inglaterra, México, Espanha, Argentina, Bélgica, dentre outras.

A modalidade escolhida é baseada na metodologia do Futebol 3 tempos, o qual tem como proposta, a divisão de três etapas: roda de debate no início da atividade, o jogo e a roda de discussão ao final.

Na primeira fase são estabelecidas as regras do jogo pelos próprios alunos, a segunda fase é o momento em que a bola rola sem a presença do juiz, sendo o professor o mediador durante toda a partida, na terceira e última etapa, os alunos debatem e mostram suas opiniões sobre os acontecimentos na atividade.

Para a educadora do Projeto, Camilla Matos, “o maior objetivo foi alcançado, que foi darmos oportunidades para o desenvolvimento educacional e esportivo, estimulando os alunos a pesquisarem sobre a Copa do Mundo, a geografia dos países participantes e, esportivamente, a prática do esporte. A atividade proposta faz com que os nossos jovens voltem a torcer pelo país, pois falta aquele espírito patriota, que cada vez mais está sendo difícil possuí-lo diante do momento complicado que estamos vivenciando. Por isso, foi a grande oportunidade de resgatar o amor pelo Brasil”, declarou.

O Projeto

O “Bola Bacana” é iniciativa da Associação de Arte, Cultura e Esporte (AACE) patrocinada por meio da renúncia fiscal do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) da Usina Lins, prevista pela Lei Paulista de Incentivo ao Esporte da SELJ (Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude). O projeto também conta com o apoio da Prefeitura de Lins e SEMEL.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Lins